Imagem capa - A Magia da infância e a Arte de guardar sentimentos. por Jefferson Alcântara - Fotografia de Casamento
O Poder do Amor.

A Magia da infância e a Arte de guardar sentimentos.



Quanto tempo faz que você, meu querido leitor, fez algo para o futuro? 


Quando comecei a fotografar lá com 15 anos, em meado a 2009, com toda certeza eu não tinha a noção do poder dela. Sim, eu sabia que havia um significado por trás, mas não o compreendia, apenas fotografava e reproduzia as imagens que havia visto antes. 


Com o tempo a maturidade vem a tona e, apenas apertar o botão com toda a minha bagagem técnica, não era o suficiente. Eu precisava encontrar o porquê de tudo isso, caso contrário não conseguiria continuar e desistiria no meio do caminho, como parte dos amigos que começaram junto comigo. É impossível tocar algo que não se acredita e por esse motivo, fui atrás da minha verdade. 


Fui buscar dentro de mim o que faltava, e encontrei! 


Dentro de cada um de nós há um poço com infinitos sentimentos, histórias, sons, cheiros; há uma bagagem de uma vida armazenado ali. Alguns são mais cheios, outros são mais rasos, pois uma vez que não utilizados, evaporam. 

Onde eu quero chegar? A vida é um presente rápido. Não notamos o tempo passar! Mas os sentimentos, os nossos amores, aquilo que nos familiarizamos e gostamos, estão por toda parte! Saber olhar pra isso e trazer pra dentro de nós de uma maneira constante é algo que nos mantém felizes e positivos. Em meio aos tantos casais queridos que fotografamos, poder encontrar uma janela para fotografar as pessoas que mais amamos, pode parecer uma tarefa difícil. E é. 


Nessas fotos eu registrei a transição. 


A Maria Fernanda tem 10 anos e muito em breve irá parecer estranho brincar com a bola, jogar algodão para o alto, correr... Mas não agora! Precisamos guardar os momentos enquanto eles ainda existem. Não podemos deixá-los passar. Mantenhamos o nosso poço sempre cheio!


Não é apenas para parecer um texto bonito. É um texto sincero.


Com todo meu coração,



Jefferson Alcântara.


















O Amor é escrito com poucas letras, com simplicidade. Assim como se é amar.




E para finalizar, essa imagem acima foi ela quem fotografou. Pediu pra que antes de terminar ela pudesse tirar uma minha. "Pega a bola e vai indo pra lá... Onde eu aperto?" E fez.


Fotografia, antes de tudo, é emoção e essa é a maior lição que eu tive durante todo esse caminho.